Blog Econômico CDL Recife

Brasil abre menos shoppings em 2015, mas vendas crescem

Deixe um comentário

O setor de shoppings centers no Brasil continua em expansão, apesar de estar havendo uma desaceleração na abertura de novos centros de compras. É o que mostra levantamento divulgado nesta quinta-feira (28) pela Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce).

Em 2015, foram inaugurados 18 novos shoppings, ao passo que em 2014, segundo a entidade, foram 25. A projeção da Abrasce no início do ano passado era de uma abertura de sac26 empreendimentos.
O país fechou o ano passado com o total de 538 shopping centers, em 196 cidades – crescimento de 3,5% em relação a 2014, quando havia 520 empreendimentos em 188 cidades.

O Sudeste concentra 58% dos centros de compra, assim como o maior número de novos empreendimentos em 2015: 8. O Nordeste vem na sequência, com 7 inaugurações em 2015.

Dos novos shoppings, 12 foram abertos fora das capitais (67%) e 7 cidades receberam seu primeiro centro de compras.
Interiorização
De acordo com Glauco Humai, presidente da Abrasce, é prematuro falar em desaquecimento no setor, pois muitos shoppings são projetados 4 ou 5 anos antes da abertura. “Quanto maior o setor, aumenta a probabilidade de menor abertura de inaugurações. Acho que seja um processo natural a quantidade de inaugurações diminuir”, diz.

E a entidade informou não ter conhecimento de fechamentos de shoppings em 2015, como o registrado em Sorocaba, no final de 2015.

Hami diz que a Abrasce não atribui o número menor de abertura de centros de compras em 2015 em comparação a 2014 somente à crise econômica no país, mas que ela compõe uma das variáveis na tomada de decisão de grupo de investidores. “Em alguns casos, eles preferem expandir os já existentes em vez de abrir novos empreendimentos”, segundo Hami.

Do total de shoppings no país, 48% estão localizados em capitais e 52% em outras cidades. O fato de 41% dos centros comerciais estarem localizados em municípios de até 500 mil habitantes mostra uma tendência cada vez maior de interiorização do setor, segundo a Abrasce.

A Abrasce comemora a alta de 6,5% nas vendas em relação a 2014, atingindo o total de R$ 151,5 bilhões. E estima que o mesmo ritmo de crescimento ocorra este ano. Já o número de lojas cresceu 3,1%, totalizando 98,2 mil estabelecimentos comerciais. O Sudeste concentrou o maior faturamento em 2015: 87 bilhões.

Novos investimentos
A estimativa de investimento em novos projetos em 2016, incluindo inaugurações e expansões, é de mais de R$ 15 bilhões – a maior parte em cidades com até 500 mil habitantes (61%) e em shoppings de menor porte (42%) ou médio porte (36%). Segundo a Abrasce, dos 538 shoppings no país, 16% estão em fase de expansão e 29% possuem planos de ampliar em médio e longo prazo.

Segundo a Abrasce, houve ainda crescimento de 4% nas vagas de estacionamento (770,6 mil) em 2015 e de 3,7% no número de salas de cinema (2,6 mil). Segundo a Abrasce, 84% dos shoppings possuem salas de cinema e 88% das salas de cinema do país estão dentro de shoppings. E 35% das lojas são de redes de franquias.

Previsão de 30 aberturas em 2016
A associação do setor projeta abertura de 30 novos empreendimentos até o fim de 2016, sendo que 23 deles serão em cidades que não são capitais e 13 deles em cidades que receberão seu primeiro shopping, todas com porte de até 500 mil habitantes.

De acordo com Glauco Humai, uma média de 30% dos projetos costuma não se concretizar, devido a fatores como legislação do estado e município, mão de obra, material para conclusão da obra, decisões estratégicas para mudança de data de inauguração e momento econômico que acabam influenciando no adiamento dos projetos.

A Abrasce projeta que 75% dos novos centros de compras sejam inaugurados no interior e 25% nas capitais, sendo que 53% em municípios de até 500 mil habitantes. A previsão é de R$ 14 bilhões em investimentos para 2016 entre inaugurações e expansões.

Vacância de lojas
A média de vacância em shoppings foi de 4,1% em 2015 – em 2014 foi de 2,8%. Hami diz que a média já foi bem mais alta em anos como 2007 e 2008, quando ocorreu a crise econômica mundial, chegando a 5%. “Não é algo aterrorizante”, diz.

Ele acredita que em 2016 a vacância fique em 4,5%. “Os shoppings mais novos têm vacância maior, e isso não é característica do país, mas é do setor no mundo. Então é natural que haja vacância maior em shoppings que foram inaugurados há 1 ou 2 anos”, diz Hami.

Perfil dos visitantes
Em 2015, 444 milhões de pessoas passaram pelos shoppings – crescimento de 3,2% em relação a 2014 (431 milhões), sendo 21% da classe A, 42% da classe B e 37% das classes C e D.

Segundo a Abrasce, sábado ainda é o melhor dia tanto em número de visitantes como no valor de compras. Já o domingo é o terceiro melhor dia em termos de fluxo e de vendas, mesmo tendo horário de abertura reduzido.

Empregos
A entidade informou que em 2015 foram abertos 53.800 novos postos de trabalho – aumento de 5,5% em relação a 2014 – e estima que o setor gere atualmente 1.032.776 de empregos diretos em shoppings, entre atendimento em lojas e na administração.

Anúncios

Autor: cdlrecife

Este blog foi desenvolvido pela CDL-Recife para apresentar novidades, tendências de mercado e informações econômicas direcionadas ao comércio. Com uma visão focada no segmento varejista, este veículo é ferramenta indispensável para o empresário que quer e precisa estar atualizado com o que acontece no cenário econômico e em como as mudanças podem influenciar em seus negócios.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s